Se for copiar algum poema ou texto desse blog, favor citar a fonte (colocar o nome da autora e o endereço do blog)

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Me veja de verdade - Pricilla Camargo Diniz



Pára de enxergar apenas a minha casca
e me veja de verdade.

Eu tô aqui...

Se você quiser ver a fada reluzente,
ela existe em mim.

Se você quiser ver a mulher guerreira,
ela também está aqui.

Agora para de me rotular.

Pára de me limitar.

Pára... Veja as duas.

Eu quero esses caminhos...
os quais piso no momento...

Eu quero essas nuances de laranja-azulado.

Eu quero risos e lágrimas doces...

Por que tenho que me limitar?

Não consigo entender...

Pára de enxergar apenas a minha casca e me veja de verdade.

29/07/2011

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Medo - Pricilla Camargo Diniz


Eu estou com medo.
Na verdade estou apavorada com o rumo das coisas em minha volta!

E olha que durante boa parte da minha vida eu tive medo de escuro.
Nossa... o escuro me deixava petrificada. Chegava até ficar sem ar e enxergar bolinhas roxas e amarelas de tanto medo.
Esse era o meu pior medo. ERA!

Agora estou com medo de alguma espécie de seres que andam, respiram, falam e se dizem Seres Humanos. É esse o meu pior medo agora. Medo de gente, da maldade no olhar e no agir sorrateiro.
Medo de pessoas de todos os jeitos, de bem vestidas, de mal vestidas, de boa família ou que não tiveram família alguma. De pessoas que parecem se divertir com o choro e sofrimento de outras.
Mas o que mais está me deixando sem chão é uma maldade disfarçada, disfarçada de formas de coisa “politicamente correta”; é um tombo de alguém e uma explosão de risadas; é o fingimento e indiferença perante outros seres da própria espécie.

É o desejo da morte de alguém, como se isso fosse reestruturar a ordem do mundo. É o medo da hipocrisia. De risos forçados e insanos só para conseguir alguma proeza, alguma bonificação e se dar bem.

Estou com medo de gente que perde a essência de gente: a Humanidade.

Sinceramente não sei onde vamos chegar e nem parar...

… Perdão!??? - eis uma palavrinha fora de moda,mas que mudaria o rumo da nossa vida para sempre!!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Construindo a nossa felicidade - Pricilla Camargo Diniz


Olha aqui, vou ser sincera... a felicidade é a gente que busca ou faz... felicidade não vem pronta... felicidade se constrói com paciência... com vontade... com amor... com esperança... com firmeza... com certeza... (a certeza sempre é nossa - não do outro... então faça acontecer o improvável... seja feliz)... custe o que custar... que se dane o orgulho, que se dane o ego... que se dane... simplesmente seja feliz... a felicidade não é um remédio para nada na nossa vida... a felicidade simplesmente é uma opção... é uma opção clara... ou você escolhe sofrer... ou escolhe ser feliz... escolha ser feliz... escolha não ter mais insônia... escolha ficar numa roda de cantoria aberta, sentado ou sentada em pufs coloridos, cheios de flores atras... escolha viver com o coração alegre... escolha... não escolha chorar de dor... escolha chorar de alegria... escolha tomar chuva em comemoração...
escolha não se entregar ao orgulho de ter orgulho...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011


"Enquanto ficarmos achando tudo normal, tudo certo... que não está acontecendo nada de errado com o mundo... não vamos sair do lugar... ops... vamos é deixar de existir logo, logo..." Pricilla Camargo Diniz

"Somos sobreviventes de um mundo insano... de um mundo que nos quer pirados para que não possamos julgar as atrocidades cometidas". - Pricilla Camargo Diniz

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Vontade - Pricilla Camargo Diniz


Quero fazer muitas coisas... mas minhas pernas ainda são curtas...
Quero promover reflexão... mas isso pode soar prepotência...

E eu? Eu não importa? Eu que carrego dentro do meu peito as dúvidas e as vozes de quem quer mais da vida... de quem quer mais da vida...

Quero andar descalça... mas me falam das pedras ao chão...
Quero silêncio... mas tem sempre uma música tocando...
Quero um amor pleno... mas não quero correntes...
Quero uma tribuna para falar... mas tenho medo que ninguém me ouça...
Quero paredes coloridas... mas gosto tanto de nude...
Quero cozinhar um banquete... mas tenho medo de engordar...

E meus medos? Eles vão aos poucos ficando pelo caminho...

Não tenho vergonha deles... eles até me fortalecem quando estou cansada...

Mas sabe o que é ingrato... as pessoas só te acham legal quando você não tem problema.

Foda-se...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

o Clube dos Meus - Pricilla Camargo Diniz


Como é bom estar entre iguais...
De alma sensível e inquietante...
Com olhos aguçados e famintos pelas coisas em volta...

Ah... como é bom estar entre os Meus...
Gente de carne e osso...
que respira...
mas que no lugar de palavras, saem de suas ou de nossas bocas versos...

Versos esses que cantam o amor a vida...
Que cantam a angustia...
Que cantam o amor...
Que cantam a apatia...
Que cantam a amizade...

Ah... como é bom estar entre os Meus...
Como é bom estar cercado de gente que sente mais que todo mundo...

Que chora com facilidade e não sente vergonha disso...

Como é bom!

Como é bom estar entre os meus e seguir estando..."



PS: no dia 01 de julho de 2011, foi criada a Sociedade dos Poetas Vivos de Uberlânida, e os fundadores estão na foto acima...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Você - Pricilla Camargo Diniz


O significado de tudo que eu fui e sou,
você está nele...

Dentro da minha essência,
você me instiga...

De um tempo irreal,
você me enxerga...

Da nossa forma de ser juntos:
Poesia...

Do vento indo ao contrário,
lágrimas rolam...

Medo estampado meu...

E mesmo com um buraco em mim...
Eu continuo vivendo...

Mesmo que eu nunca mais te veja...
Sempre vou te sentir...

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Banhar-me-ei - Pricilla Camrgo Diniz




Banhar-me-ei de vida.
Banhar-me-ei de ternura e vontade.

De malícia e sossego.
De fogo e piedade.

Banhar-me-ei de rios verticais.
De ventos mineiros.
De sol e sombra.

Banhar-me-ei de poesia e prosa.
De música e nota.
De nuvens de cristal.

Banhar-me-ei de esperança.
De alternativas de vida.
De fonte de energia.
De flores coloridas.
Para ver mais um raio da estrela brilhante nascer
e me fazer ver a beleza que existe no mundo.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Não me interessa - Pricilla Camargo Diniz


não tenho métrica...
não tenho rima...

tenho muitas reticências no meu caminho.

não faço questão de ser hipocritamente correta,
pois faço de tudo para que a minha alma seja correta.

gosto de caminhos longos.
gosto de bolero e de rock.

gosto de ver a vida.

gosto de sentir a vida.

e continuo não tendo métrica e nem rima.

e os meus poemas tão pouco.

Então tá - Pricilla Camargo Diniz




Vou parar um minuto.

Vou dizer a verdade,
somente a verdade.
Nada mais que a verdade.Doa a quem doer.

Então tá.

Vou parar de mentir.
Não minto para as outras pessoas...
minto para mim.

Não estou feliz com o meu caminho.
Não estou feliz com o meu trabalho.
Não estou feliz com a minha rotina que se pôs aos meus pés.

Mas a culpa... a culpa é minha.
Eu que fiquei parada.
Eu que me isolei de mim.
Eu que queria ser tudo... mas não fui atrás.

Que pena!!!!

Eu ia ser tão mais legal!
Tão mais risonha.

Mas por acomodação, virei uma estátua de sal que enfeita as ruas.

Eu queria ser atriz.
Eu queria ser "escrivinhante".
Eu queria ser cantora.

Eu queria brilhar em um palco grande.

Ah, como eu queria!!

Como queria invadir os olhos das pessoas com arte.
E transmitir beleza, poesia, dureza e melodia.

Mas estou cá... digitando nesse computador...
imaginando como tudo isso seria perfeito...

Olhem pelo lado bom...
uma estátua de sal que escreve!!!!!!!

Descoberta - Pricilla Camargo Diniz




Voando pra dentro de mim descobri coisas incríveis.

Descobri o caos interno,
o som que o silêncio tem.

Descobri o charme do meu coração bombeando.

Descobri que estar em mim é ótimo.

Descobri que nem toda lágrima vale a pena.
Que a maioria dos dragões que eu tinha medo, eram todos invenção da minha cabeça.
Que os problemas podiam ser resolvidos.
Que xingar às vezes faz bem pra alma.
Que os sonhos podem se tornar pesadelos.
Que ao olhar no espelho tenho tanta certeza do que não quero.

Mas não sei o que virá da vida...

Então deixa vir com tudo...

EU AGUENTO!!!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Hipocria? - Pricilla Camargo Diniz



(foto by jornal Globo online)


Aglomerado buscando resposta.
Mesmo assim fazendo cena,
buscando ibope.

Luzes para melhorar o ângulo.

Enquanto isso o frio assola,
o cachimbo não pára.
A esquina faz mais vítimas.

Roupas para aquecer.
E quem não tem roupa?
Se vira com cachaça, com crack
e outras coisas para aliviar o corpo.

E dando close,
dando entrevistas,
dando tchauzinho,
mandando dar sopa para os desabrigados
(na frente da tv)
e dando tapinhas nas costas para dizer que é preocupação social.

- Ah, isso vai resolver o problema, e dái posso dormir em paz!!

quarta-feira, 15 de junho de 2011


Fiquei sabendo que é proibido chorar.
Fiquei sabendo que é feio se emocionar.
Fiquei sabendo que é considerado desequilíbrio emocional.
Fiquei sabendo que é.

Agora me fale

O que é belo?
Olhar para as coisas em volta
e achar tudo bem?

Achar normal?

Passar pela vida e não apreciar os detalhes...
Andar pelos caminhos e não sentir a brisa e não poder chorar em nome da beleza vista?

Nunca pensei... nunca ousei pensar que chorar, que demonstrar sentimento seria encarado assim... como um transtorno... como um problema...

sinceramente não sei se quero continuar participando disso...
não sei se quero continuar participando da hipocrisia do mundo...

onde se dizem sensíveis, mas abominam quem demonstra sentir as coisas imensamente, seja através do choro, seja através de um poema sem métrica... seja através de um poema com muitas reticências...

pensei que tivesse encontrado o "clube dos meus"... mas percebo que não...

apenas encontrei mais um lugar... como tantos lugares... onde as pessoas se escondem do que poderiam sentir de verdade...

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Sofrimento Superado? - Pricilla Camargo Diniz


Alma lilás que um dia sangrou.
Anjinho que tornou-se confuso
e deixou de ser anjo.

Alma lilás que parou de sangrar.
Ri e chora pra tentar esquecer.

Vive e tenta respirar...
que agora é feliz mas tem uma grande marca em si.

Grande árvore que no outono perdeu as folhas.

Mas no sol da primavera
as folhas e flores voltam a nascer.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Ainda bem que eu esqueci - Pricilla Camargo Diniz


Eu estou muito torta.

Eu estou quase morta.

Eu estou feliz e infeliz por isso.

Algo abriu minhas pernas e socou uma coisa diferente... um vento... uma brisa...
mas eu não queria...

Não sorria... eu chorava... porque isso era estranho.

Não entendia o cansaço.
Não entendia a dor.

E eu tinha apenas cinco anos.

Não entendia o sofrimento. Mas hoje vejo.

Dor criada. Sufoco. Nojo. Cabeça pendida.

Mas era uma criança lá.

Não me importa.

Quero a imagem morta. Morta dentro de mim. Quero esquecer.

Tenho medo. Tenho medo.

Um muro se formou para proteger as lembranças.

Esse muro foi quebrado e tudo veio à tona.

Aí de mim... aí de mim.

Banheiro. Colchão. Água correndo no chão. Credo.

Criança fingindo ser criança.

Aí de mim. Aí de mim...

Ainda bem que esqueci o rosto.

Ainda bem...

quarta-feira, 18 de maio de 2011

imbroglio - pricilla camargo diniz

meu coração dilacerado vai sendo colado com gotas de grude que acho nas panelas jogadas ao chão

minha ansia de vida veio da alegria de ver o sorriso da minha strellinha

eu? eu não importa...

se já não consigo julgar
se já não consigo viver...
se respiro bem só a base de remédios...

a minha vida é um imbroglio...

quarta-feira, 6 de abril de 2011




AS PESSOAS QUEREM A VERDADE OU SÓ A VERDADE QUE LHES CONVÉM?
Pricilla Camargo Diniz

quarta-feira, 2 de março de 2011

Chega - Pricilla Camargo Diniz

Chega de loucura...

brindemos a sanidade,
a quietude,
a contemplação...
ao solitário e pausado pôr-do-sol.

Chega de turbilhão...
onde apenas cresce o amontoado de gente.

Gente que busca uma coisa diferente todo dia,
mas não aproveita o que já tem nas mãos.

Gente que em um esforço hiper-humano
quer encontrar a plenitude da vida,
mesmo sem saber o que isso significa.

Chega de loucura...
Chega de trovão...
Chega de fúria...
Chega de escândalos...
Chega...

então apenas abra um pequeno sorriso e aprecia em câmera lenta o mundo a sua volta.

(isso vale também pra mim!)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Sou assim. - Pricilla Camargo Diniz

A minha vida é muito curta pra eu fazer uma coisa só...

Gosto de ser multifacetada...

Gosto de ter muitas coisas diferentes pra pensar...

Nossa! Como me realizo dessa maneira!

Parece que tem muitas fadinhas dentro de mim...
Cada uma querendo e fazendo uma coisa...

É um turbilhão tão bom... mas não é um caos...
Não gosto de caos... a minha vida não é assim...

Mas sou muito mais feliz planejando e construindo diversas coisas...

Se eu não fosse assim, nem existiria esse texto.

Choro interno - Pricilla Camargo Diniz

Eu chorei um choro interno...
Foi de alegria...
Foi de tristeza...
Alegria por estar viva...
E de tristeza por medo...
Medo de o mundo explodir aos poucos
E a gente não se dar contar...

Meu choro interno foi de desespero e de alívio...
Alívio por poder chorar ainda...
E de desespero por que não adianta só chorar...

Mas nossas mãos estão atadas???!!!!

Esse meu choro interno
Serve para equilibrar a min alma...
Serve para equilibrar minha respiração...
Serve para eu perceber que ainda sou gente...
Que ainda me importo...
Mas será que se importar sozinha, importa???

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Por que a bomba explodiu? - de verdade / Pricilla Camargo Diniz

As coisas são voláteis.
Uma maldade.
Uma falta de amor ou desamor.
Uma retenção de humanidade.
Um ato insano ou calculado.

E pronto... Explosão!

Tudo pelos ares.

E mesmo que não vá tudo pelos ares
Vidas estavam em jogo.

Possibilidades de vidas terminadas.

Fobia criada.
Fobia de gente, ou melhor, da maldade de alguma gente.

Falta de ar.
Tremedeira.

Por que essas coisas acontecem?

Nunca vou formular uma resposta completa.
Mas a ânsia dentro de mim faz com que a pergunta nunca seja apagada.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

As minhas reticências... Pricilla Camargo Diniz

São apenas símbolos de minha continuidade cotidiana.

São símbolos de uma pessoa que está em construção
e que deixa a sua planta/projeto para que outros a vejam e analisem.

As minhas reticências são minhas gotas de vida em exercício.

Parei de amar à força... - Pricilla Camrgo Diniz

Eu te exumei de dentro de mim...
E vi que não era você...
Não era você que estava aqui.

Então não quis saber onde estava
Porque já não me interessava.

Inocente eu seguia...
Por fim eu previa
que não era isso que eu queria.

Estava sonâmbula
Estava em prantos
Mas não consegui tirar aquele fantasma de dentro de mim...

Não era a ilusão que eu acreditava.
o sonho lindo que imaginava.
Porque o medo pôs uma venda em seus olhos.

Conhecia a sua alma
mas não era isso que a sua cabeça mostrava
e os seus anseios viraram dor profunda...

Colocou uma grande parede entre você e
o que realmente queria viver, pois tinha medo de sofrer.

Afastou-se de mim
Numa ânsia sem fim

Sentiu uma profunda dor...
Dor de essência...
dor por querer ser feliz e não conseguir.

não sei onde isso vai dar.
queria saber, mas você não deu chance.

então... sem ressentimentos.

Siga seu caminho Lua Pálida.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Nostalgia... - Pricilla Camargo Diniz

A nostalgia tomou conta de mim...

Nostalgia do que eu já vivi...
Nostalgia do que eu não vivi, mas que eu li ou ouvi falar...

Nostalgia das boas músicas...
Nostalgia dos castelos dos meus sonhos...

De quando eu era criança...
De quando eu estava na barriga da mamãe...

E de quando eu estava no céu... antes de vir pra cá... Só vim aqui na terra uma vez... É nisso que eu acredito...

Nostalgia da brisa e da chuva controladas...
Do raio e do trovão que faziam apenas barulho e não traziam confusão...

Nostalgia de mim... Nostalgia de você...

E provavelmente terei nostalgia do amanhã quando virar ontem....

Lu... - Pricilla Camargo Diniz

Lu linda...
Lu bela...
Lu sorridente...

Lu é uma festa...
Minha melhor amiga...

Lu perto...
Lu longe...
mas sei onde está o seu coração!

Lu mãe...
Lu esposa...
Lu amiga...

Ela parece uma melodia...
melodia que não para...
que encanta e que sonha...

A Lu é assim... Pura magia...!!!

Vivendo o impasse social e pessoal... - Pricilla Camrgo Diniz

Para de ser boba!!! Ninguém quer ouvir seus problemas, as suas lamentações... engole o choro e o soluço. Abra um sorriso bem largo e pronto.

Ou você pensa que quando vê alguém conhecido em algum lugar e ele lhe pergunta: " Você está bem?" - que essa pessoa quer ouvir a verdade? Que essa pessoa vai ter a paciência e a bondade de lhe escutar? Caí na real...!

Hoje cada um tem um problema maior que o outro; tem uma dor maior que a outra. Mas sabe por que não são curados? Porque não se vive e não se sente essas dores e esses problemas como se deve... Passamos por cima dos nossos problemas e dores como se eles nunca tivessem existido. Aí quem sofre é o nosso pobre travesseiro a noite, ou os nossos olhos que não conseguem se fechar para um descanso de tanta aflição...

E no dia seguinte começa a farsa toda outra vez...

" - Bom dia, como você está?
- Estou muito bem obrigada e você?
- Menina, estou maravilhosa!!!"

E quando por ventura encontramos uma pessoa que nos fala: " - Ah, não to bem não ... aconteceu isso, isso e isso comigo e blablablá... " logo arrumamos um jeito de desconversar.

"O problema não é meu! Pra que eu quero sabe??? "

Cada um para um canto... e assim continua a caminhar a humanidade... !!!

sábado, 29 de janeiro de 2011

Encaixar ou não? Eis a questão.... - Pricilla Camargo Diniz

" prefiro-me fragmentada, pois, quando me mostro completa as pessoas não gostam de mim!"


" É vero, não sou triste. Sou introspectiva às vezes, mas isso incomoda muito as outras pessoas em minha volta. E não quero me importar com isso.
Cada ser é cada ser... não se pode modelar todos da mesma forma e nem do mesmo jeito.
Todas as cores tem diferentes nuances, é por isso que o arco-íris é tão belo, pois privilegia cada cor.
Será que me encaixo? Será que devo me encaixar? Será que quero me encaixar? Essa contradição bate sempre a minha porta, e o mais engraçado é que ela vem sozinha, jamais traz a resposta. É fácil, basta apenas construir uma caixa de chumbo em minha volta... e pronto! Parar de sofrer. Será que é tão fácil? Será bom? Não sei... só queria experimentar."

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

até q o computador ou a rotina os separe - pricilla camargo diniz

era uma vez uma casal recém casado... eles eram felizes... mas na hora de estarem juntos, cada um pegava o seu computador e ficavam até altas horas. às vezes se falavam por msn, outra vezes qdo iam beber água passavam um pelo outro, mas apenas passavam...

o sexo era ótimo... mas estava ficando mecânico...

a mulher era mto transparente mas mtas vezes para agradar seu companheiro dizia q nada a estava incomodando...

mas vocês sabem como são as coisas...

um dia o balde entorna...

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

"milagre de viver, é viver dependente ao dom de amar"- pricilla camargo diniz/ 1994





‎"chove em mim... chove pra lavar minhalma... chove para sair as impurezas do meu espírito... chove... lava... mas deixa tudo organizado..." pricilla camargo diniz
18/01/2011

o cuidado com as palavras

"as palavras precisam de cuidado para sairem... senão vira um turbilhão e ninguém segura... as palavras precisam de um tempo para maturar... precisam de um cadiquinho de sossego dentro da gente... pq senão arrebentam tudo qdo vão embora" - Pricilla Camargo Diniz