Se for copiar algum poema ou texto desse blog, favor citar a fonte (colocar o nome da autora e o endereço do blog)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Vontade - Pricilla Camargo Diniz


Quero fazer muitas coisas... mas minhas pernas ainda são curtas...
Quero promover reflexão... mas isso pode soar prepotência...

E eu? Eu não importa? Eu que carrego dentro do meu peito as dúvidas e as vozes de quem quer mais da vida... de quem quer mais da vida...

Quero andar descalça... mas me falam das pedras ao chão...
Quero silêncio... mas tem sempre uma música tocando...
Quero um amor pleno... mas não quero correntes...
Quero uma tribuna para falar... mas tenho medo que ninguém me ouça...
Quero paredes coloridas... mas gosto tanto de nude...
Quero cozinhar um banquete... mas tenho medo de engordar...

E meus medos? Eles vão aos poucos ficando pelo caminho...

Não tenho vergonha deles... eles até me fortalecem quando estou cansada...

Mas sabe o que é ingrato... as pessoas só te acham legal quando você não tem problema.

Foda-se...

Um comentário:

Weslley M. Almeida disse...

Gostei de todo o texto e da imagem. Mas o que mais gostei da frase final! Ri pra caramba...
Além disso, ressalto a parte que deseja amor sem correntes. Aí vem o paradoxo com Camões: "é o estar-se preso por vontade"...
Abraço, moça!
Querendo me visitar: www.letrancas.blogspot.com
Té!