Se for copiar algum poema ou texto desse blog, favor citar a fonte (colocar o nome da autora e o endereço do blog)

terça-feira, 27 de abril de 2010

O Jovem e a Floresta - Pricilla Camargo Diniz

O jovem e a floresta
pricilla camargo

Andando na floresta quente e úmida, o jovem percebe o quanto está seguro permanecendo ali...
E enquanto vai andando, vai sentindo onde está pisando...
O jovem sente muito prazer ao dar cada passo, pois sabe que perto dali, está escondida uma maravilhosa e compensadora surpresa...
Na firmeza do seu caminhar, propõe-se a fazer movimentos bem sensuais e ágeis, tão ágeis que chega até a notar que a floresta agradece, como se estivesse contorcendo de tanta volúpia... ele abaixa para sorver o líquido dado pela terra e entrega-se à magia do sabor deixado em sua boca...
Quanto mais vai se aproximando do tesouro escondido, mas a floresta fica satisfeita com ventos que fazem as árvores envolverem-se uma às outras em movimentos de total sensualidade, e proporcionando um barulho que faz lembrar gemidos e sussurros ...

Os olhos do jovem peregrino, brilham ao sentir que está sendo tocado com tanta firmeza e ternura pôr aquela floresta, que encontrou pôr acaso, em um dia comum, em que queria apenas descansar e se divertir.

Começou a dançar conforme a música tocada pelo embalo da brisa e mover-se sem pensar... mal sabia que estava cometendo um crime: provocando tentação naquela floresta que a bastante tempo encontrava- se quieta e sossegada.
Mas a floresta não iria deixar isso barato, desde o 1º momento em que viu o jovem se aproximando, sabia que fim aquele belo e agradável dia teria.
O céu estava muito azul... um azul tão intenso que doía a alma de quem ficava ...

O passo largo do jovem, só aumentava o interesse em prende-lo no meio de suas trepadeiras, pois nunca tinha visto rapaz com tamanho vigor e vitalidade.

A floresta parecia bêbada, e descompassava o ritmo da aurora...
O perfume que o rapaz sentia o deixava inebriado e de repente foi acometido pôr um grande desejo... um desejo de ficar ali, sentindo o aroma da floresta, sentindo sua temperatura e gosto... e bebendo toda sua seiva... e percebeu que a surpresa estava ali na sua frente: era a mensagem que a floresta lhe dava... no encaixe perfeito e na harmonia de dores e gemidos... e descobriu que nunca havia acontecido algo parecido com ele...

E o jovem ficou ali, aproveitando tudo... e em completo êxtase ...

Nenhum comentário: